:: Santa Tereza ::

Associação do Bairro

Bares & Restaurantes

Bazares & Presentes

Buffets

Colégios & Escolas

Dinheiro

Diversão & Lazer

Diversos

Eletricidade Para Casa

Esoterismo

Farmácias e Drogarias

Fast-Food

Festas & Eventos

Informática

Lacticínios

Lavanderias

Locadoras Vídeos/Dvds

Material de Construção

Medicina Alternativa

Mercearias

Moda & Vestuário

Motos & Automóveis

Padarias & Lanchonetes

Papelarias

Pet Shop

Saúde

Segurança

Serviços Para a Casa

Sorveterias

Supermercados

Transportes

Turismo

:: Canais ::
:: Classificados
:: Dicas de Turismo
:: Esporte
:: Empregos
:: Jornais e Revistas
:: Lazer
 
GUIA SANTA TEREZA


DIABETES

SINTOMAS

CONTROLE

DIAGNÓSTICO

DICAS

 CUIDADOS

OUTRAS INFORMAÇÕES

CONSEQUÊNCIAS

CUIDADOS COM AS INSULINAS

O diabetes é uma doença causada pela ausência ou deficiência na produção de insulina, que é um hormônio produzido pelo pâncreas, responsável pela absorção da glicose do sangue para as células. São conhecidos dois tipos de diabetes: o tipo I, conhecido como tipo juvenil e atualmente classificado como diabetes insulino-dependente, e o tipo II ou adulto, também chamado diabetes não insulino-dependente.

Normalmente, o tipo I é chamado juvenil porque atinge principalmente indivíduos menores de 25 anos, mas também pode atingir pessoas com mais idade. Poucos casos são adquiridos por hereditariedade, sendo que menos de 10% dos casos são herdados dos pais. Na verdade, a maioria dos casos é de origem desconhecida. Muitas vezes, o diabetes pode ser adquirido através de uma infecção viral; quando o organismo começa a combater a infecção, acaba produzindo anticorpos que destroem o pâncreas, atingindo as células que produzem a insulina. Em geral, os indivíduos atingidos são magros e têm tendência a desenvolver o coma diabético se não receberem insulina adequadamente.

Já o tipo II atinge indivíduos com mais de 40 anos, sendo que as mulheres compõem a maioria dos casos. Existe uma forte relação de hereditariedade, sendo que mais de 20% dos casos têm um dos pais com a doença. Nos casos de gêmeos idênticos, se um irmão contrai a doença, o outro tem 90% ou até 100% de contraí-la também. Ao contrário do diabetes tipo I, não há destruição do pâncreas por anticorpos. O pâncreas produz insulina normalmente, mas a quantidade não é suficiente para ser usada pelo corpo. As pessoas atingidas são em geral obesas, sendo que 80% têm pesos 15% acima do ideal. O tipo II é o tipo de diabetes mais frequentemente encontrado, constituindo 80% dos casos. As pessoas que sofrem desse tipo de diabetes raramente desenvolvem o coma diabético.

Como consequência da falta de insulina, o açucar no sangue vai se acumulando, e - se a pessoa não procurar tratamento, começa a desenvolver os sintomas da doença.

 

SINTOMAS

O indivíduo começa a apresentar intensa sede, a urinar frequentemente e em grandes quantidades, e sente muita fome. No diabetes tipo I, apesar da pessoa comer bastante, mantém o corpo magro, o que chama a atenção. é muito frequente nas mulheres a presença de doenças como a infecção genital conhecida como Monilíase, causada por um fungo, que provoca intenso prurido vaginal e um corrimento esbranquiçado. Como o diabetes reduz a resistência às infecções, são comuns também infecções urinárias e da pele. Também a visão pode sofrer alterações, devido à deformação do cristalino.

 

DIAGNÓSTICO

Existem vários exames para diagnosticar diabetes. O mais simples é a dosagem de glicose na urina, colocando-se uma fita (glicofita) e medindo-se a quantidade de açucar na urina pela variação de cor apresentada na glicofita. O mesmo pode ser feito furando-se o dedo com uma agulha e colocando-se uma gota de sangue na glicofita. Para obter resultados mais seguros, é medida a glicose de jejum, que normalmente deve ser menor que 115 mg/dl. Outros exames são feitos, como teste de tolerância à glicose, em que a pessoa ingere 75g de glicose. Os níveis de glicose são medidos na hora da ingestão, e 30, 60, 90 e 120 minutos após. São anotadas todas as variações de glicose no sangue. Muitas pessoas apresentam uma intolerância à glicose, mas não chegam a ter diabetes. é muito comum acontecer isso a mulheres grávidas, que depois de darem à luz voltam aos seus níveis de glicose normais. Essas mulheres, em geral, dão à luz bebês com pesos maiores que os normais.

 

CUIDADOS

É muito importante controlar o diabetes, para se evitar complicações como o coma diabético, que pode até causar a morte. Alguns fatores são responsáveis pelo aparecimento de coma, como infecções, stress, ingestão excessiva de álcool, lesões variadas e outras situações em que se necessita de muita insulina e o corpo não consegue produzir o suficiente. Quando a pessoa entra em coma, produz um característico odor de acetona, eliminado pela respiração.

 

CONSEQUÊNCIAS

Alguns sintomas de diabetes só aparecem com o tempo, como a cegueira, doenças renais, doenças nos nervos e músculos. A aterosclerose, produzida pela obstrução de vasos sanguíneos, é muito frequente em pessoas diabéticas, podendo atingir as artérias do coração ou das pernas e pés. é muito comum que os pacientes apresentem úlceras nas pernas, infecções ou até mesmo gangrenas. Também os nervos podem ser afetados (neuropatia diabética), levando à perda de sensibilidade e de sensação à dor, com diminuição dos reflexos, principalmente nos pés. Outro problema comum é a impotência sexual em homens diabéticos.

 

CONTROLE

A maioria dos sintomas do diabetes é causada pela elevação de açucar no sangue. Portanto, manter os níveis de glicose dentro dos parâmetros normais é crucial para o tratamento da doença. Para os diabéticos, a dieta é um dos fatores mais importantes no controle da doença. Uma dieta apropriada deve ter 20% da ingestão calórica em proteínas, 50% em carboidratos e 30% em gordura.

Também é importante fazer exercício físico, para ajudar não apenas na manutenção do peso como para reduzir os níveis de glicose. Muitas vezes, pessoas com o diabetes tipo II não precisam de tratamento com remédios, obtendo grande melhora só com a dieta adequada e exercícios, mantendo um peso ideal. Para se calcular o número de calorias necessário por dia, usa-se a seguinte tabela (quantidade de calorias por quilo de peso):

Nível de Atividade

Massa Corporal

Sedentário

Moderadamente
Ativo

Muito Ativo

Obeso

20-25

30

35

Normal

30

35

40

Abaixo do peso

35

40

45-50

 


DICAS

Procure ingerir 2/7 do total de alimentos no café da manhã, outro tanto no almoço e no jantar, e 1/7 antes de deitar. Procure alimentos com gorduras polinsaturadas, e evite aqueles com gorduras saturadas. Cuidado com o colesterol: procure não ingerir mais do que 300-500mg por dia. Aumente a ingestão de fibras: coma mais pão preto, cereais, frutas e vegetais.

 

OUTRAS INFORMAÇÕES

Algumas pessoas com o diabetes Tipo II necessitam tomar medicamentos, como os hipoglicemiantes orais, que são ajustados conforme os níveis de glicemia. Já aquelas com o Tipo I, que são dependentes de insulina para sobreviver, têm que receber todos os dias doses injetáveis de insulina.

O tratamento mais moderno para o diabetes é através de uma bomba de infusão de insulina, que constantemente libera insulina através de uma agulha colocada subcutaneamente na parede abdominal ou na coxa, controlando satisfatoriamente os níveis de glicose.

No futuro, os cientistas utilizarão um monitor de glicose implantável que, em combinação com a bomba de insulina, formaria um pâncreas artificial. Um sensor mediria os níveis de glicose automaticamente e, com a ajuda de microprocessadores, determinaria a quantidade de insulina necessária e instruiria a bomba para liberá-la.

 

 


Veja como você pode anunciar e fazer parte do guia comercial, ter seu nome para todo o mundo saber o que você faz e onde você está.

A partir de R$ 90,00 semestrais você pode fazer parte do
 Guia Santa Tereza
Anuncie - Sua empresa  merece !



Melhor visualizado com Resolução de  800x600 - Todos os direitos Reservados